5 Erros do Tite na Copa – Lições que um bom gestor deve aprender

5 Erros do Tite na Copa – Lições que um bom gestor deve aprender

1 – O líder não pode ser a maior estrela da equipe. Seu papel é desenvolver lideranças e especialidades dentro da equipe, para que estas se façam presentes nas diversas circunstâncias que irão ocorrer. Um exemplo: quando a indicação de quem vai utilizar a braçadeira de “Capitão” é objeto de uma escala de revezamento, ninguém assume a responsabilidade de “Capitão” e, no desenrolar do jogo, ninguém age como tal, enfraquecendo a equipe dentro de campo.

2- O líder tem a obrigação, por mais que lhe custe emocionalmente, de manter na equipe apenas os que estiverem aptos a contribuir para os resultados do time, em qualquer necessidade que venha a ocorrer. A consequência por relegar este fato a segundo plano é prejudicar o desempenho da equipe nos momentos em que precisar de “peças de reposição” e não contar com recursos humanos em condições de atender às demandas do momento, seja quanto ao aspecto físico, emocional, intelectual, etc.

3- Não cabe ao gestor ser “especialista” em tudo. Atividades que exigem requisitos, habilidades, formação ou experiência específicas devem ter a execução entregue a pessoas especializadas nos respectivos assuntos. Uma coisa é o papel do líder no sentido de incentivar a equipe e procurar obter o melhor desempenho de cada um. Outra, muito diferente, é um trabalho profissional de dar assistência e suporte a componentes da equipe que estejam passando por momentos de dúvidas, dificuldades pessoais, necessidades de afirmação, etc.

4- Circunstâncias diferentes exigem posicionamentos também diferentes. Trocando em miúdos é o clássico “uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”. Por exemplo: liderar a equipe de um clube é diferente de liderar uma seleção – equipe de alta performance onde todos são figuras de destaque no contexto em que atuam; torneios eliminatórios exigem posicionamentos no jogo diferentes de campeonatos de pontos corridos, pois não há tempo útil para ficar insistindo (e errar) com uma formação que não está dando o resultado esperado.

5 – O líder tem que se comunicar com clareza, de modo a que toda a equipe entenda e possa por em prática as suas orientações. Não basta fazer com que as pessoas repitam como um chavão as mesmas palavras do líder sem que compreendam e internalize o seu significado, porque, quando isso acontece, na hora da verdade a equipe não sabe o que fazer e se desorganiza ou se desestrutura. O que, mesmo acontecendo por curto espaço de tempo, pode ser fatal para os resultados.

 

Publicada Nota Orientativa nº 06, de 02/05/2018, sobre o envio de eventos periódicos de grandes empresas.

Publicada Nota Orientativa nº 06, de 02/05/2018, sobre o envio de eventos periódicos de grandes empresas.

Fonte: Portal do Esocial

Entes esclarecem as principais dúvidas sobre o envio dos eventos periódicos

A partir do dia 08/05, o web service estará disponível para o envio dos eventos periódicos das grandes empresas, com faturamento superior a R$78 milhões. Veja as principais orientações contidas na Nota Orientativa nº 06, de 02/05/2018.

O web service estará disponível para recebimento dos eventos periódicos apenas a partir de 08 de maio. No entanto, os dados dos eventos da folha de pagamento de maio devem abranger todo o mês, desde o dia 1º.

A partir desta fase, o eSocial utilizará a versão 2.4.02 do leiaute, incluindo os ajustes constantes nas Notas Técnicas nº 0102 e 03.

Assim, nesta fase, devem ser informados: a) todos os fatos geradores (remuneração) ocorridos a partir de 1º de maio de 2018; e b) todos os pagamentos ocorridos em maio de 2018, mesmo que se refiram a meses anteriores.

A folha de abril não será informada no eSocial. Todavia, caso o pagamento aos trabalhadores se dê durante o mês de maio, a empresa deverá informá-lo por meio do evento S-1210.

Por conta do regime de caixa, os pagamentos efetuados durante o mês de maio, ainda que se refiram a competências anteriores, deverão ser informados no eSocial. Consulte o item S-1210 - Pagamentos de Rendimentos do Trabalho, do MOS – Manual de Orientação do eSocial

Os pagamentos relativos a antecipação de férias ou a competências anteriores ao início de obrigatoriedade do eSocial, podem ser enviados sem o prévio lançamento em um dos eventos S-1200/S-1202/S-1207/S-2299 ou S-2399. Todavia, é necessário que primeiramente seja feito o cadastramento do trabalhador (evento S-2200 ou S-2300, conforme o caso).

Caso haja desligamento entre 1º e 07 de maio, o evento de desligamento (S-2299 ou S-2399) deverá ser enviado a partir do dia 08, incluindo as informações de verbas rescisórias (grupo verbasResc).

Largada para o eSocial em 8 de janeiro

Largada para o eSocial em 8 de janeiro

Cuidados e Riscos

A implantação do eSocial a partir de 8 de janeiro* para os eventos relativos a Cadastro do Empregador e Tabelas (S-1000 a S-1080), nos leva a lembrar a você alguns pontos importantes e, a esta altura, urgentes:

1.    qualificação cadastral – deve ser a primeira ação a ser executada no ambiente do eSocial. Na verdade, considerando a data de implantação, já deveria ter sido feita.

2.    A tabela de rubricas – o eSocial considera cerca de 150 códigos, uma quantidade muito menor que a utilizada nos sistemas de pagamento de pessoal em uso nas empresas. Merecem atenção especial os aspectos fiscais relativos a cada tipo de rubrica.

3.    O eSocial não muda a legislação, mas a sua forma de controle –  com base de dados centralizada com informações detalhadas, o governo está automatizando os processos de fiscalização e dando mais agilidade à identificação de não conformidades ou infrações. Com isso o risco de multas aumenta muito.

Por falar em multas, veja a seguir os riscos aos quais as empresas estarão expostas com maior frequência com o eSocial(aproveite e veja o possível custo):

  • Não informar a admissão do trabalhador até um dia antes da data do evento (Multa de R$ 402,53 a R$ 805,06 por empregado, podendo dobrar de valor em caso de reincidência. Prevista no artigo 47 da CLT)
  • Não informar alterações cadastrais ou no contrato do empregado. (Multa de R$ 201,27 a R$ 402,54. Prevista no artigo 41, parágrafo único da CLT)
  • Comunicação de Acidente de trabalho – CAT (A multa varia entre os limites mínimo e máximo do salário de contribuição caso não comunique ao e-Social, em caráter imediato, acidentes de trabalho que resultem no falecimento do empregado. Acidentes não fatais devem ser informados até o primeiro dia útil seguinte ao do acidente. Em caso de reincidência, a multa também pode dobrar de valor. Prevista nos artigos 19 a 21 da lei nº 8.213/91).
  • Não realização de exames médicos - admissional; periódico; retorno ao trabalho; mudança de função; e demissional. (Multa de R$ 402,53 a R$ 4.025,33. Artigo 201 da CLT. Prevista no artigo 168 da CLT, regulamentado pela NR (Norma Regulamentadora) nº 7 do Ministério do Trabalho e Emprego -  MTE)
  • Não informar ao empregado sobre os riscos do trabalho (Multa de R$ 1.812,87 a R$ 181.284,63 de acordo com a gravidade de cada situação. Prevista no artigo 58, da lei nº 8.213/91)
  • Não informar afastamento temporário do empregado - auxilio doença, férias, licença maternidade e outros. (Multa entre R$ 1.812,87 e R$ 181.284,63 Prevista no artigo 92 da Lei nº 8.212/9)

Nossos serviços no eSocial:

  • Levantamento e diagnóstico sobre os riscos a que a sua empresa está exposta perante as exigências do eSocial.
  • Orientações sobre o melhor processo para implantar o eSocial.
  • Apoio especializado, com conhecimento do processo, para articular as diversas áreas envolvidas na implantação do eSocial.

Faça contato conosco, para agendarmos uma reunião na qual apresentaremos nossos serviços e nossa experiência, e poderemos ajustar, em conjunto, a forma de apoio mais adequada às necessidades da sua empresa.

proper@properconsult.com.br

(21) 99964-5722

 

*Empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões em 2016.
As demais entrarão no eSocial a partir de julho deste ano e já devem
estar se preparando.

 

Agora é oficial! Veja a seguir como será a implantação do eSocial

Agora é oficial! Veja a seguir como será a implantação do eSocial

Veja a seguir como será a implantação do eSocial

ETAPA1 – Início da Implantação – 8 de janeiro de 2018.

Abrange empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais.

Fases da implantação – 5 fases

Fase 1: Janeiro/18: Apenas informações relativas às empresas: cadastros do empregador e tabelas.

Fase 2: Março/18: início do envio de informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos.

Fase 3: Maio/18: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento.

Fase 4: Julho/18: Substituição da GFIP (Guia de Informações à Previdência Social) e compensação cruzada.

Fase 5: Janeiro/19: Última fase, com o envio os dados de segurança e saúde do trabalhador.

 

ETAPA 2 – Início da Implantação – 8 de janeiro de 2018.

Abrange as demais empresas privadas, incluindo Simples, MEIs e pessoas físicas que possuam empregados.

Fase 1: Julho/18 – Apenas informações relativas às empresas: cadastros do empregador e tabelas.

Fase 2: Set/18: início do envio de informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos.

Fase 3: Nov/18: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento no eSocial.

Fase 4: Janeiro/19: Substituição da GFIP (Guia de Informações à Previdência Social) e compensação cruzada.

Fase 5: Janeiro/19: Última fase, com o envio os dados de segurança e saúde do trabalhador.

 

Etapa 3 – Início da Implantação – janeiro de 2019.

Abrange todas as entidades públicas, também em 5 fases, escalonadas de janeiro a julho de 2019

  • Confirmando as informações que demos anteriormente, o portal do eSocial já está divulgando o calendário oficial para implantação do eSocial, a partir de janeiro de 2018.
  • “ as empresas que descumprirem o envio de informações por meio do eSocial estarão sujeitas a aplicação de penalidades e multa ...”.  Este foi o comentário do representante do grupo gestor do eSocial, publicado nesta divulgação, esclarecendo  vários aspectos da implantação e enfatizando  que o governo pretende  arrecadar em torno de R$ 20 bilhões por ano, com a entrada do eSocial.

 

Assim, recomendamos mais uma vez atenção ao tema e cuidado na preparação para a sua implantação

Onde podemos ajudar:

  • Se a sua empresa  ainda não entendeu bem o processo e quer maiores informações para se organizar.
  • Se a sua empresa quer fazer um levantamento para verificar os riscos a que está exposta perante as informações do eSocial.
  • Se a sua empresa quer uma Consultoria Assistida com orientações sobre o melhor processo para implantar o eSocial.
  • Se sua empresa precisa de apoio especializado para coordenação, com conhecimento do processo, para articular as diversas áreas envolvidas na implantação do eSocial.

Faça contato conosco, para agendarmos uma reunião na qual apresentaremos nossos serviços, e poderemos ajustar em conjunto a forma de contribuição mais adequada às necessidades da sua empresa.

 

O mundo gira e o ambiente de testes do eSocial roda

O mundo gira e o ambiente de testes do eSocial roda

Caminhando célere para a implantação do eSocial em 1º de janeiro de 2018, o ambiente de testes (também chamado ambiente restrito) do eSocial estará utilizando a partir de 27/11/2017 (depois das 18 horas) o leiaute do eSocial na versão 2.4 com os ajustes publicados em 17/11/2017 (versão 2.4.01 – Beta).

Os eventos já enviados pelas empresas serão excluídos da base de dados e deverão ser reenviados, à luz da nova versão de teste.

O portal do eSocial informa, ainda, que para adequar o sistema à nova versão do leiaute, o ambiente de Produção Restrita ficará fora do ar, nesse dia, até às 18h.

Permanece a expectativa pela informação, ainda não confirmada, do faseamento da implantação do eSocial. No entanto, as empresas que devem entrar no sistema em 1º de janeiro de 2018 não devem se descuidar, porque, como já informado, o que se planeja é apenas a implantação em fases, não o adiamento.

Palavra esta que, aliás, parece em desuso no meio que lida com a implantação do eSocial.

E a sua empresa, já está preparada para entrar no sistema em 1º de janeiro de 2018? Se você pretende passar o Reveillón preocupado apenas com a queima de fogos, entre em contato com a Proper e evite a dor de cabeça provocada pela “ressaca” do eSocial!

 

Não Caia Na “Malha Fina” Do ESOCIAL

Não Caia Na “Malha Fina” Do ESOCIAL

Temos uma proposta para fazer à sua empresa, caso a preparação para implantar o eSocial ainda esteja em fase inicial ou sequer tenha começado.

Uma simples e objetiva autoavaliação.

Você já sabe por nossas postagens que estão ocorrendo alterações no ritmo de implantação do eSocial, com as exigências de mudança cobradas de forma gradual. Isto dá um certo alívio para as empresas com o processo em andamento, mas, para as demais, a pressão continua.

Responda agora ao questionário que está sendo enviado no link abaixo, que como retorno lhe remeteremos um sumário sobre a situação atual da sua empresa e algumas ações básicas a serem feitas.

Responda agora o questionário de auto avaliação de sua empresa em relação ao eSocial (Clique aqui)

eSocial – Possibilidade de  “faseamento” na entrada de dados

eSocial – Possibilidade de “faseamento” na entrada de dados

Está em vias de ocorrer uma alteração no ritmo de implantação do eSocial, beneficiando substancialmente as empresas obrigadas a aderir a essa obrigação em 1º de janeiro de 2018 (aquelas com faturamento superior a R$ 78 milhões no exercício de 2016). Por decorrência as que devem fazer entrada de dados em 1º de julho também devem ser beneficiadas.

A Receita Federal admitiu, em evento em Porto Alegre, a possibilidade de que as exigências sejam cobradas de forma gradual.

Não há definições mais claras até o momento, mas pelo posicionamento assumido pelo coordenador geral do SPED, Clóvis Belbute Peres, durante um seminário sobre o eSocial promovido pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) algo está por vir. O auditor afirmou, sobre a posição do governo, que “iremos definir como ocorrerá esse ‘faseamento’ nos próximos dias”.

Especialistas que participaram do evento comentaram que uma proposta sobre a qual já há consenso é a implantação faseada, de acordo com os tipos de eventos.

Em princípio, a primeira fase contemplará eventos de tabelas e de cadastramento inicial de vínculos; a segunda, eventos não periódicos, a exemplo da admissão, fatores de risco, afastamentos etc; a terceira, eventos periódicos, que dizem respeito à remuneração laboral; e a quarta, a substituição da GFIP como declaração para apuração da contribuição previdenciária e do FGTS.

A pouco mais de dois meses para o início da obrigatoriedade para as empresas do 1º grupo, a orientação básica aos contribuintes é fazer o saneamento e a qualificação dos dados corporativos e iniciar a entrada de dados no ambiente de testes que já está disponível.

Finalizando lembramos que, se para as empresas que já se organizaram ou estão bem adiantadas na preparação para o eSocial esse “faseamento” vem dar um certo alívio, para quem ainda está no início, ou nem começou, a pressão continua.

Até porque as datas de início não foram alteradas.

E você, já começou a se preparar?  Entre em contato conosco agora mesmo! Caso contrário, não vá reclamar depois que está atrasado … Ainda dá tempo!

alice-esocial

Versão 2.3 entra no ambiente de testes do eSocial em 10/10

Versão 2.3 entra no ambiente de testes do eSocial em 10/10

Ambiente de Produção Restrita ficará fora do ar no dia 09/10 para ajustes no sistema e data de início da aplicação da versão 2.3 passa para 10/10.

 

Inicialmente prevista para 09/10, a entrada da versão 2.3 como versão oficial do ambiente de testes do eSocial foi transferida para 10/10, conforme retificação divulgada no portal oficial do eSocial.

Na prática, para as empresas que estão utilizando o ambiente de testes, os eventos já enviados por elas serão excluídos da base de dados e deverão ser reenviados, utilizando-se a nova versão de teste (2.3).

As principais novidades desta versão são a fusão dos eventos de cadastramento inicial e admissão no S-2200, o novo evento S-1295 – Solicitação de Totalização para Pagamento em Contingência e o retorno do processamento da admissão com as informações do contrato de trabalho.

Para quem ainda não está utilizando o ambiente de testes…

A menos de 3 meses da data definida pelo governo para utilização obrigatória do eSocial pelas empresas (01/01/2018), uma notícia desta significa que o cumprimento da data prevista deverá ser efetivamente exigido das empresas, confirmando o que já vem sendo sinalizado pelos agentes atuantes na preparação do eSocial que representam os diversos entes do Governo que terão acesso a essa base de dados.

E também confirma o que temos alertado e orientado neste espaço há bastante tempo.

A data de implantação em 1° de janeiro de 2018 vale para empresas que obtiveram faturamento superior a R$ 78 milhões anuais em 2016. Estas, é possível assegurar, se ainda não têm uma base de dados bem organizada, atualizada, com processos e práticas de administração de pessoal aderentes à legislação, deverão encontrar sérias dificuldades para atender aos requisitos do eSocial.

A partir de agora o tempo é muito mais curto, o estabelecimento de prioridades mais crítico e os custos envolvidos para a preparação mais elevados. Até porque, o que poderia e deveria estar fragmentado em todo este período em que o eSocial vem sendo divulgado, vai ter que se transformar em esforço concentrado com pouquíssimo tempo de realização.

Este último detalhe, além de tudo, aumenta a possibilidade de erros, que podem expor as empresas que neles incorram a ônus decorrentes do cruzamento de informações, fiscalizações, autuações, etc. já que a base de dados ficará disponível online, todo o tempo, para Secretaria da Receita Federal do Brasil – RFB, Caixa Econômica Federal, Instituto Nacional do Seguro Social – INSS e Ministério do Trabalho – MTb, porque o projeto eSocial é uma ação conjunta destes órgãos e entidades do governo federal.

Para as demais empresas o prazo é 1º de julho de 2018. O que é uma vantagem, não tanto pelo maior tempo para preparação, mas, principalmente, porque poderão aprender e se precaver a partir das notícias sobre os problemas das empresas (mal) preparadas para a entrada de dados obrigatória em 1º de janeiro.

E utilizar o tempo disponível a seu favor.

Ficou em dúvida, quer maiores orientações quanto a esta notícia ou quanto aos passos a seguir para uma adequada implantação do eSocial em sua empresa, entre em contato conosco.

Acesse aqui à notícia oficial no portal do eSocial.

 

 

 

Publicada a versão 2.4 do leiaute do eSocial

Publicada a versão 2.4 do leiaute do eSocial

Mais que uma atualização esta é, muito provavelmente, uma sinalização de que a implantação do eSocial em janeiro de 2018 ocorrerá efetivamente.

Temos visto e ouvido, com certa frequência, afirmativas de empresários e executivos, no sentido de que a aplicação do eSocial vai ser reformatada, retardada, e até mesmo cancelada.

Em nossa perspectiva isto está longe de ter alguma conexão com a realidade, mais parecendo um certo tipo de wishful thinking daqueles que ainda resistem às transformações que já deveriam estar sendo feitas em suas empresas para adequação às demandas do eSocial.

Quem acompanha os encontros promovidos pelas entidades do governo envolvidas com o eSocial e está atento à forma como as questões surgidas no ambiente de testes estão sendo tratadas no sentido de sanar problemas da operação, tem a clara percepção de que, na prática, o cronograma está sendo conduzido para implantação na data prevista.

Esta nova versão (2.4) incorpora as mudanças na legislação trabalhista trazidas pela Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017 e inclui melhorias e correções decorrentes da experiência no ambiente de testes aberto a todas as empresas, que está no ar desde 26 de junho.

É aí, neste ponto, que voltamos ao “muito provavelmente” da primeira sentença, a respeito dos sinais que a publicação dessa versão 2.4 nos dá sobre a implantação em janeiro próximo. Isso porque, ao final da nota, o comitê gestor do eSocial esclarece que “os testes continuarão sendo realizados na versão 2.2.02, até que seja implementada a nova versão do leiaute no ambiente de testes (produção restrita)”.

Não fica difícil concluir que isso indica um salto sobre a Versão 2.3 (a esta altura superada), e também que a próxima versão a ser implantada no ambiente de produção, considerando as mudanças na legislação trabalhista (que para muitos representava um grande obstáculo), deverá ser o próprio modelo final para implantação, ou, ao menos, algo muito próximo desse modelo final.

Àqueles que ainda acreditam que a implantação do eSocial vai ser reformatada, retardada ou cancelada, lembramos que … o tempo passa! E a cada dia em que a preparação das empresas é retardada, isso significa maior quantidade de recursos colocados para operar as transformações necessárias e, consequentemente, maiores custos concentrados em um curto espaço de tempo para garantir a qualidade do produto final.

Além de diminuir, pelo exíguo prazo restante, a possibilidade de realizar os ajustes necessários em práticas e processos que vêm sendo cumpridos de forma inadequada ou, até mesmo, contrária à legislação em vigor. O que traz de reboque o risco e o custo inerentes a fiscalizações (que agora poderão ser online), autuações, multas, etc.

Para baixar a Versão 2.4 acesse aqui.

 

eSocial libera ambiente de testes para todas as empresas do país

eSocial libera ambiente de testes para todas as empresas do país

O eSocial disponibiliza, a partir de hoje (01/08), o acesso ao ambiente de testes da plataforma para todas as empresas do país. A etapa tem como objetivo preparar o setor produtivo para o início da utilização obrigatória do sistema que começa em 1° de janeiro de 2018 para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais. A partir de 1° de julho de 2018, o eSocial torna-se obrigatório para todos os demais empregadores do país.

Assim, como previsto no cronograma divulgado, a publicação de hoje no portal do eSocial concretiza a liberação deste ambiente para todas as empresas, após a abertura do ambiente de testes para empresas de TI – que ocorreu em 26 de junho.

Importante lembrar que este é um passo decisivo para que as empresas concluam a sua preparação para atender às condições necessárias no início da obrigatoriedade do sistema em 2018.

Assim, se dúvidas existiam sobre a entrada em vigor do eSocial em janeiro de 2018, elas estão gradativamente se desfazendo com o avanço demonstrado nas ações que vem sendo tomadas para a implantação desse sistema de informações no prazo previsto.

Pode-se até admitir que algumas questões e ajustes façam com que o prazo definitivo seja um pouco mais distendido. Algo como março, conforme arriscam alguns especialistas mais pessimistas.

Entretanto, a esta altura do cronograma, uma diferença de prazo dessa natureza não causa maior impacto, principalmente para aqueles que ainda não deram partida no processo em suas empresas ou que estão em ritmo lento.

Para estes o tempo está, perigosamente, cada vez mais curto.

Afirmamos isto porque, para se ter uma breve noção do caminho até chegar ao estágio da entrada das informações no ambiente de testes, as empresas precisam passar por todo um processo no qual merecem destaque a qualificação cadastral – checando no ambiente do eSocial  a consistência das informações do seu cadastro de empregados (Nome, CPF, NIT); a análise e compatibilização das práticas de administração de pessoal com os requisitos da legislação em vigor; decisão sobre a ferramenta de TI  adequada para transmissão das informações para o ambiente do eSocial (mensageria); definição de responsáveis pela coleta, tratamento e entrada de dados no ambiente do eSocial.

Esses são apenas os pontos de destaque. O conjunto completo de ações não é pequeno e, dependendo das condições e das informações que a empresa dispõe, a preparação pode ser complexa.

Por isso, repetimos, o tempo está, perigosamente, cada vez mais curto.

Veja a nota completa do Portal do eSocial.

Ficou em dúvida, quer maiores orientações quanto a esta notícia ou quanto aos passos a seguir para uma adequada implantação do eSocial em sua empresa, entre em contato conosco e peça uma reunião para esclarecimentos.